DOMÍNIO: O que é e para que serve?

arrow_downward

O nome de domínio foi criado para facilitar a memorização dos endereços de computadores na internet, se não fosse por ele teríamos que memorizar uma sequência de números para cada domínio (URL), por exemplo: “195.333.444.55” ao invés do “www.suaempresa.com.br”.

Como escolher o domínio para sua empresa

Não existe segredo na escolha do endereço, geralmente deve seguir o mesmo padrão do nome fantasia da empresa, exemplo:

  • Empresa: TOSS Interativa
  • Domínio: www.tossinterativa.com.br

Não é muito comum mas pode acontecer do nome já estar registrado por outra empresa, isso vai depender da originalidade ou do segmento do mercado.

O domínio também é usado para criar autoridade no ambiente da internet, desta forma, a partir do momento que você registra um endereço garante a exclusividade da marca* na internet “first for life”, ou seja, o primeiro que criar o registro fica sendo proprietário por no mínimo 12 meses, necessitando renová-lo a cada período. Existem exceções quando envolvem grandes marcas ou termos de baixo calão.

Gostou? Receba novidades por email:

[mc4wp_form id=”3792″]

*Importante destacar que o registro de domínio não tem nenhuma relação com registro de marca. O registro de um domínio é exclusivo para uso na internet e a criação do site da empresa.

Aconselha-se também registrar um segundo domínio que carregue o nome do seu principal serviço, produto. Exemplo: Imagine que você mora na cidade de Curitiba e precisa de um eletricista, basicamente sua busca no Google será “eletricista em curitiba” certo?

Aí que entra a sacada: você pode fazer o registro desse termo “www.eletricistaemcuritiba.com.br”, isso vai classificar melhor o seu site no Google. Vale lembrar que não é simples achar o termo adequado, além disso, este domínio deve ser configurado como o principal dentro da sua hospedagem, mas isso é um assunto um pouco mais complexo que podemos abordar futuramente.

Quanto custa?

No Brasil o órgão responsável pelos registros chama-se Registro.BR, e qualquer pessoa ou empresa pode pesquisar e fazer o pedido para registro de um determinado endereço. O custo anual de um domínio nacional é de R$ 30,00.

Assista o vídeo de apresentação do serviço do Registro.BR:

[gdlr_video url=”https://youtu.be/t_wSDdQeb58″ ]

Como registrar o domínio:

[gdlr_video url=”https://youtu.be/gZRYDxWuYpk” ]

O registro do domínio internacional, como o .COM, pode ser feito através das empresas de hospedagem (Locaweb, HostGator, GoDaddy, CentralServer, UOLHost…) ou diretamente nos sites:

Para os registros “.com” os valores podem variar conforme o dólar. Podem custar a partir de R$59,90.

Interessante você saber:

URL: é um endereço virtual que permite a localização de um arquivo, uma máquina, um site, um diretório, etc. Significado: Uniform Resource Locator (Localizador Padrão de Recursos), muitas vezes chamado também como “link”;

Categoria ou Extensão de Domínio (.COM.BR): com = comércio / br = Brasil (visualizar todas);

A sigla WWW: significa World Wide Web (Rede de Alcance Mundial);

HTTP: HyperText Transfer Protocol (Protocolo de Transferência de Hipertexto), protocolo que permite a transferência de informação localizado no início da url (http://www…).

HTTPS: Hyper Text Transfer Protocol Secure (Protocolo de Transferência de Hipertexto Seguro), camada de proteção na transmissão de dados criptografada entre computadores e servidores.

A gravadora ToneMind em parceria com a Roland Brasil promovem o maior Concurso de Remix do Brasil, o Tone Remix Contest.

A TOSS entra nessa jogada como patrocinadora oficial de toda a parte de mídia digital do concurso.

Premiação: Os vencedores serão premiados com equipamentos da nova linha AIRA da Roland e diversos outros prêmios.

Cronograma do Concurso: Período das inscrições e download do pack original online: de 01/06 a 15/07 | Envio dos remixes: 02/06 à 16/07 até às 23:59 | Etapas eliminatórias pelo público: 26/07 à 03/08 . Resultado Final no programa Dance Paradise: 08/08.

Informações oficiais acesse: www.tonemind.net/aira/

[gdlr_video url=”https://youtu.be/PYukmU6meI4?list=PLiqzWNnXvPa2PIDtlXHT-0fEijroMrXGL” ]

O famoso e essencial software de edição de imagens completa 25 anos de existência, e para comemorar a Adobe criou uma espécie de retrospectiva feita ao som de Dream On do Aerosmith. Confira:

O efeito parallax tem sido a “modinha” do momento, mas alguns profissionais dizem que o efeito parallax prejudica no SEO do seu site, já outros dizem que isso não acontece e é exatamente isso que vamos explorar aqui com o objetivo de fornecer uma visão geral sobre o assunto.

O efeito paralaxe basicamente é uma abordagem de design do site que tem sido usado por vários anos e agora leva o seu nome a partir do conceito de movimento paralaxe é muito interessante quando bem utilizado e pode ser bastante explorado se você for criativo. Você pode ver um artigo sobre como fazer um efeito parallax em apenas 3 passos aqui.

Um dos principais benefícios do uso de projeto paralaxe é que ele permite que o site conte uma história para o visitante apenas por rolagem, não necessariamente uma história do tipo joão e maria com final feliz, mas uma linha de raciocínio lógico para informar o usuário ou até mesmo induzi-lo a alguma ação final seja ela curtir, compartilhar ou comprar algo…

Leia a publicação completa: Tableless

Algumas empresas ainda preferem não se posicionar nas redes sociais por meio de perfis, publicação de comentários e conteúdo. Mas isso não significa que é possível estar ausente. A empresa pode não falar, mas certamente estão falando sobre ela ou sobre seus produtos na internet. As redes sociais são um solo muito rico em informações para empresas que souberem observar, entender e aplicar o feedback do público. Por isso, monitorar as redes sociais é cada vez mais essencial para qualquer marca.

Hoje, temos disponíveis inúmeras ferramentas, pagas e gratuitas, que podem ajudar. As próprias redes sociais disponibilizam ferramentas de busca que permitem a observação e captação de comentários em tempo real. O Google inclui comentários feitos em redes sociais em seus resultados de busca.
Ferramentas como o TweetDeck e o Hootsuite permitem o monitoramento de diversos perfis ou palavras-chave (lembre-se de que mesmo que o público não esteja mencionando sua marca, ele pode estar falando sobre seu produto).

Para análises mais aprofundadas, que levem em conta métricas como volume de menções, associações de palavras, mensagens replicadas, alcance das mensagens, engajamento, usuários mais influentes que interagem ou recomendam a marca, é recomendada a adesão às ferramentas pagas que, além da possibilidade de mensuração, podem garantir a coleta e o armazenamento de um número ilimitado de mensagens, provenientes de diferentes redes sociais. Para isso, eu recomendo as seguintes: Scup, Radian6 e Social Mention.

Qualquer ferramenta, seja paga ou gratuita, não elimina, no entanto, a necessidade do olhar humano. Após coletar todas as informações e dados, olhe e analise tudo com atenção, pois neles podem estar as soluções e respostas que sua empresa procura há tempos.

Fonte: Leandro Kenski

No dia-a-dia trabalhando em uma agência de marketing, me deparo muito com o termo logomarca usado por profissionais de diversas áreas de comunicação. Na escola aprendemos que logotipo seria mais correto. Mas, por que se importar tanto com uma palavra? Não é importante apenas o entendimento do que queremos expressar?

Agora vai a minha opinião de jovem profissional: a maioria dos brasileiros compreende quando o termo logomarca é utilizado; a palavra já se encontra em dicionários e nos manuais das grandes empresas. Mas isso não justifica a falta de coerência que encontramos na palavra logomarca.

Nos estudos de design aprendemos a projetar, conceituar e executar da melhor maneira possível. Já passamos por muitos desentendimentos em nossa área, sobre o que fazemos e como fazemos. Então não podemos permitir que outras áreas e profissões definam os termos certos a serem utilizados!

Claro que não podemos exigir que leigos e pessoas de outras áreas entendam tudo sobre significados e origens de palavras, mas quem trabalha com comunicação leva a profissão a sério e se diferencia de amadores e micreiros.

Assim, nosso dever enquanto profissionais é sempre buscar os significados corretos e transmiti-los para nosso clientes, colegas de trabalho e faculdade.

Em um artigo para o site designGráfico, Gilberto Alves Jr. analisa os termos mais usados da logotipia, buscando nos significados das palavras que estruturam o termo qual a forma correta de utiliza-los e ainda esclarece a dúvida para designers, publicitários e interessados.

Descendo à raiz das palavras, o termo logotipo é aceito como correto. Seria o símbolo visível de um conceito. Já logomarca seria um termo redundante: o significado do significado.

Por: Juliana Galati – Web Insider